Cohab Pará quer implantar modelo do processo seletivo de moradias do Governo de Goiás

 

A Companhia de Habitação do Estado do Pará (Cohab-PA) quer implantar em seu Estado o modelo do processo seletivo de moradias realizado pelo Governo de Goiás. O presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab), Eurípedes do Carmo, recebeu os integrantes da equipe paraense que vieram conhecer todo o procedimento em seu gabinete nesta terça-feira (9/7). Ele afirmou que o Governo de Goiás atua para otimizar os mecanismos que zelam pela  transparência e lisura do processo, dificultando ou impedindo a ocorrência de irregularidades e desvios.

A gerente Executiva da Diretoria de Políticas Habitacionais da Cohab-PA, Anna Carolina Holanda, afirmou que a política de habitação realizada pelo Governo de Goiás é referência nacional. “Acreditamos que o processo seletivo realizado em Goiás está bastante evoluído. Viemos propor uma parceria, em que a Agehab faça a transferência de tecnologia e nós apresentamos sugestões de melhorias. Esse é o ideal do serviço público: promover a cooperação que cresce e melhora todo o sistema habitacional”, disse. 

Anna Carolina afirmou que sua Companhia tem desejo de melhorar os processos, garantindo agilidade e transparência, quesitos em que o Estado de Goiás é referência. Também fazem parte da comitiva paraense a gerente de TI da Cohab-PA, Adriana Lisboa, e o analista de sistemas de Processamento de Dados do Estado do Pará, Clóvis Machado.

A equipe da Gerência de Tecnologia da Informação (GETI) da Agehab desenvolveu os softwares que são utilizados para cadastro on line, definição de grupos de acordo com a pontuação e também para o sorteio das famílias. O processo é 100% auditável e garante a participação justa de todos os interessados no sorteio. O sistema é acompanhado de perto por todos os entes envolvidos no processo, como Ministério Público Federal e Estadual, Caixa Econômica Federal e prefeituras.

Os técnicos da Agehab explicaram para a comitiva paraense o passo a passo para o processo seletivo de moradias. Depois do período de inscrições on line, com ampla divulgação na mídia, cada família é classificada pelo próprio sistema dentro de seu grupo prioritário. O sorteio é feito automaticamente, com transmissão pela internet. Os documentos que comprovam os dados informados na inscrição são solicitados posteriormente. Quem não consegue comprovar os dados, é eliminado do processo, e é chamado o cadastro reserva. O procedimento já foi elogiado pelo Ministério Público Federal, que sugeriu sua implantação no Programa Minha Casa Minha Vida.

Fotos de Sérgio Willian Gódoy