Aluguel Social chega a mais de 1.600 famílias goianas

Beneficiários de Catalão, Cristalina, Luziânia e Valparaíso foram chamados para entregas em três dias de atendimentos. Programa do Governo de Goiás já alcançou mais de 31 mil famílias

 

Moradora de Valparaíso, Jéssica Souza, ficou duplamente feliz ao descobrir, nesta quinta-feira (01º/09), que o tão esperado Aluguel Social não terminaria em dezembro, como pensava inicialmente. A satisfação em receber o benefício do programa do Governo de Goiás, executado pela Agência Goiana de Habitação (Agehab), somou-se à tranquilidade de saber que poderia contar com o reforço para custear o aluguel por 18 meses. Jéssica integra uma das 1.600 famílias atendidas nesta semana nos municípios de Catalão, Cristalina, Luziânia e Valparaíso.

 

Com os 18 meses de apoio do Aluguel Social, os beneficiários podem se planejar, reorganizar as finanças e voltar a sonhar. “Eu achava que era só até dezembro, agora descobri que é um ano e meio e vai ser ótimo porque ajuda bastante. Vai sobrar dinheiro para eu comprar coisas para a casa e os meus filhos”, diz Jéssica Souza. Em Valparaíso, foram 629 beneficiários convocados para receber o benefício. A primeira entrega da semana, porém, foi realizada terça-feira (30/8), para 500 famílias em Catalão. Na quarta-feira (31/8), foram dois atendimentos: em Cristalina, com 291 beneficiários, e em Luziânia, com 209. No total, foram chamados 1.629 beneficiários.

 

O Aluguel Social é um programa de complemento de renda do Governo de Goiás para famílias em situação de vulnerabilidade financeira, com aporte mensal de R$ 350. Além de garantir o pagamento do aluguel, o programa ajuda quem sonha com a moradia própria, como é o caso da Iracema Reis, gari que mora em Cristalina. Ela recebeu o cartão na quarta-feira. “Fiquei muito feliz, eu e toda minha família. Vai me ajudar demais. Vou juntar esse dinheiro que vou economizar e comprar um lote para mim”, agradeceu.

 

Com o reforço na renda, são vários os relatos de projetos que os beneficiários desejam realizar ao serem contemplados. Entre os mais frequentes estão o complemento da alimentação dos filhos, economia de recursos para aquisição de lotes ou da casa própria, mudança para uma moradia mais digna e até formação profissional. O universitário Kennethy Robert, que recebeu o cartão na terça-feira, em Catalão, é exemplo. Ele se mudou para o município em busca de formação. “É uma ajuda para quem precisa. Saí da minha cidade para mudar de vida e o programa é importante para quem está na universidade e para população inteira”, destaca.

 

Criado em 2021, o Aluguel Social segue com atendimentos em 66 municípios goianos, com mais de 31 mil famílias beneficiadas em pouco mais de nove meses de execução. Uma parte deles ainda está com inscrições abertas para atendimentos previstos a serem realizados nas próximas semanas. Para checar se o município onde vive está com inscrições abertas, a família interessada em se candidatar pode acessar o site www.agehab.go.gov.br. No site também é possível conferir os critérios. Estão entre os requisitos ser maior de 18 anos ou emancipado, não possuir imóvel próprio e morar no município há 3 anos ou mais.

 

Fotos: Octacílio Queiroz

 

Legenda Fotos 1 e 2:* Famílias são atendidas com Aluguel Social pela equipe da Agehab em Cristalina

 

Legenda Foto 3: “Eu achava que era só até dezembro, agora descobri que é um ano e meio e vai ser ótimo porque ajuda bastante. Vai sobrar um dinheiro pra eu comprar as coisas pra dentro de casa, para os meus filhos”, Jéssica Souza, de Valparaíso de Goiás

 

Agência Goiana de Habitação – Governo de Goiás

 

 

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.